VENHA PARA O NOVO TABABADO!

VENHA PARA O NOVO TABABADO!
WWW.ONIXDANCE.COM.BR

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

“TIVE CÂNCER E ESCONDI. NÃO QUERIA SER A ‘MISS BRASIL COITADINHA’”, REVELA MARTHINA BRANDT

Aos 24 anos, Marthina Brandt carrega o título de mulher mais bonita do país. Eleita Miss Brasil em 2015, a jovem teria tudo para estar vivendo o melhor momento de sua vida.
Mas bem quando conquistou o título tão almejado por tantas mulheres, a vida "pregou uma peça" e a jovem teve que encarar outro desafio: vencer um câncer no útero. Marthina, que preferiu manter sigilo sobre a doença, resolveu falar sobre tudo o que passou em entrevista à revista "Marie Claire".
"Eu tive câncer no útero. Sou uma pessoa muito reservada quanto à vida pessoal. Não queria que as pessoas me vissem e me perguntassem sobre a doença. Não podia me abater porque se você fica triste e se entrega, o seu quadro piora. Não queria me sentir vitimizada, que tivessem pena ou achassem que eu queria justificar qualquer coisa usando o meu problema de saúde", disse.
A gaúcha explicou por que resolveu falar sobre o assunto agora, quando está prestes a entregar a coroa para a próxima Miss Brasil. "Não queria ser notícia por causa de um problema, e sim ser lembrada pelo meu trabalho. A coordenação propôs abrir isso para a mídia na época, e eu não quis. Agora que estou encerrando um ciclo, não serei mais a 'Miss Brasil coitadinha' e intimamente estou melhor. Este é o momento".
A modelo contou que descobriu a doença ainda antes de concurso. "Passei mal antes do Miss Brasil e então fiz um exame patológico. Embarquei para disputar o Miss Universo e minha médica ligou dizendo que eu precisaria fazer quimioterapia voltando ao Brasil", relembrou. 
A jovem destacou que, por incrível que pareça, não sentiu tanto o impacto da notícia. "Você não sente nada até que estoura o negócio. Eu fazia exames a cada seis meses. Foi bem complicado, mas sendo bem sincera, eu não chorei um único dia. Hoje, quando penso nisso, tenho orgulho de mim. Fui muito forte", avaliou. 
Os efeitos do tratamento para quem vive da beleza também foram um motivo de preocupação, segundo Marthina. "Essa palavra, 'quimioterapia', é muito pesada. É engraçado. Você se olha no espelho, está linda, fazendo o cabelo e a maquiagem, e pensa: 'Será que vou perder meu cabelo? Tem cura? Não tem? Vou viver? Vou morrer?'. Você pensa em mil coisas ao mesmo tempo e precisa mostrar que está bem", afirmou.
Mas, de acordo com a gaúcha, pouca coisa mudou em sua aparência após o tratamento. "Sofri poucos efeitos colaterais. A quimioterapia não foi convencional. Foi agressiva com o tumor, mas não tanto com o corpo. Eu perdi cabelo, mas uso mega hair, então não foi perceptível. Sentia muito cansaço, tinha unhas fracas e falta de apetite. Perdi dois quilos, mas normalmente oscilo entre 52 e 55 quilos".
Com a perspectiva de 40% de chances de cura em um tratamento que duraria seis meses, a modelo conseguiu vencer o câncer em três meses e meio. "Fui ao hospital um dia sim, um dia não, durante oito dias. Pausava cinco dias e começava de novo. Minha mãe sempre me acompanhava e eu ficava mais sentida por ela. Ela dizia que se pudesse, trocava de lugar comigo", disse ao contar que estava curada, mas que precisará fazer exames durante cinco anos. 
A modelo concluiu que a doença a ajudou a melhorar como pessoa. "Acho que as coisas ruins podem ser boas. Nesse caso, ocorreu uma transformação. Desde os 18 anos, fazia trabalhos voluntários relacionados ao câncer e hoje sei o que as pessoas passam. Eu me sentei na cadeira delas. No fim das contas, aconteceu algo legal comigo. Mudei para melhor".
Fonte:RedeTV

Nenhum comentário:

Postar um comentário